Cantores e Pregadores

Como cuidar da voz

 

(artigo retirado da revista “Informe Gospel”, Edição 03, 2005)

 

A voz é um instrumento extremamente delicado e por isso requer um cuidado especial já que danos na saúde vocal podem ser irreversíveis.

Para cantores e pregadores a saúde vocal é algo indispensável, mas muitos não sabem como utilizar e preservar a sua voz, ou nem mesmo sabem que a voz requer cuidados e que para utilizá-la no canto, ou em pregações a voz requer cuidados ainda mais especiais.

A voz é produzida pela laringe. Quando inspiramos, o ar entra nos pulmões, as pregas vocais neste instante estão abertas para permitir a entrada do ar. Ao falar ou cantar elas se aproximam e o ar passa por elas na expiração, a vibração das pregas vocais acontece na passagem do ar na expiração, e é esta vibração que produz o som a voz. Este som a voz é produzido na laringe e amplificado pelas cavidades de ressonância que são: faringe, boca e nariz. É articulado pela cavidade oral, pelos movimentos da língua, dos lábios, mandíbula e palato. A coordenação bem sincronizada de  todas estas estruturas dará como resultado uma correta emissão vocal que é vista como uma voz agradável, bem entendida e devidamente projetada, produzida sem esforço.

Muitas das vezes cantores e pregadores são talentos natos e portanto, não recebem nenhum tipo de formação para cantar ou pregar, e muitas vezes surgem problemas vocais pela utilização inadequada da voz, e isso pode ser um obstáculo para realização  plena de seus talentos. É por isso que cada vez mais cantores, pregadores e pastores têm procurado a Fonoaudiologia para prevenir distúrbios vocais, para aperfeiçoar a voz e a fala ou para tratar distúrbios já existentes.

 

No quadro abaixo algumas dicas que podem ajudar a preservar a saúde vocal

 

1.                 Não fale em excesso, o uso da voz continuadamente sem preparo é prejudicial para a laringe, pois submete o aparelho vocal a um esforço prolongado. Se a fala ou o canto se fizer necessário por um período longo, procure ficar sem falar por um período igual ou superior, para descansar a sua voz.

2.                 Não pigarrear, pois este ato causa um atrito entre as pregas vocais causando uma descamação na mucosa, podendo contribuir para o aparecimento de lesões e irritações.

3.                 Não gritar, falar em voz muito forte ou gritar sem técnica, causa uma sobrecarga nos músculos da laringe aumentando o risco do aparecimento de lesões na superfície das pregas vocais, ou até hemorragias. Os gritos devem ficar restritos a situações absolutamente necessárias.

4.                 Não falar sussurrando ou cochichando, pois embora aparentemente, cochichar ou sussurrar possa parecer inofensivo, na verdade este ato requer extrema força das estruturas da laringe e pode ser mais lesivo do que o falar com sonoridade habitual.

5.                 Não fale fora da sua freqüência habitual. Todos apresentamos uma freqüência de voz é o que chamamos de freqüência habitual. É isso que faz com que um ouvinte nos identifique e nos reconheça pela voz. Quando estamos falando ou cantando estamos constantemente variando as freqüências de nossa emissão, porém, existe um valor médio que nossa voz se situa. Alguns cantores podem utilizar a freqüência do canto que geralmente é mais aguda na própria fala, e isso representará um abuso vocal, além de suar artificial. Procure emitir a voz o mais natural possível, fora das apresentações.

6.                 Não imite sons, vozes e ruídos. Alguns cantores possuem um controle vocal desenvolvido, ou mesmo por dom, apresentam facilidade de imitar sons, vozes e ruídos. É muito difícil fazer essas manobras sem lesar o aparelho fonador, pois geralmente após as imitações, os imitadores apresentam um ardor e irritações. Desta forma não imite, evite lesar a sua voz.

7.                 Não use roupas apertadas, principalmente no pescoço, na cintura e no abdômen, pois elas prejudicam a respiração e a emissão vocal.

8.                 Evite ambientes secos, a redução da umidade no ar, causa ressecamento no trato vocal, induzindo a produção vocal com esforço e tensão. É como se um sistema extremamente potente tivesse que trabalhar sem lubrificação. Se estiver exposto a ambientes secos (por  exemplo com ar condicionado, ou em cidades onde a umidade relativa do ar é pequena) hidrate-se bastante, tomando vários copos de água por dia.

9.                 Durma o suficiente, o ato de cantar ou pregar é um ato de extremo gasto energético e os cantores e pregadores costumam até perder peso em suas apresentações. A energia da laringe é recuperada através de descanso, mais especificamente através do sono. A voz nunca está boa após uma noite mal dormida. Programe-se para dormir o suficiente.

10.            Estresse em excesso, prejudica a emissão, o que se observa através de cansaço vocal, falta de resistência vocal, rouquidão e ar na voz, podem ocorrer perdas de notas nas tessituras.

11.            Beba bastante água, aos goles, cerca de 2 litros por dia, assim você estará hidratando todo o corpo e também o trato vocal.

12.            Mantenha uma dieta balanceada, todas as funções especiais do corpo requerem grande aporte energético, evite excesso de gorduras e alimentos muito condimentados, o que atrasa o processo digestivo e limita a excursão respiratória.

13.            Não utilize vinagre, gengibre, limão e sal, pois estas substâncias podem ressecar as mucosas e não devem ser utilizadas para efeitos vocais.

14.            Não chupe balas ou chicletes de menta ou que causam sensações refrescantes, antes de suas apresentações para melhorar a emissão. O ato de mascar ou chupar pode relaxar e soltar a musculatura da laringe da boca e da faringe, o que contribui para uma melhor emissão da voz. O perigo está nos componentes que podem anestesiar e reduzir as sensações próprias da laringe prejudicando o canto e a fala, e até muitas vezes, o falante forçar bastante estas estruturas pela falta de percepção do esforço. O que pode causar lesões.

15.            Evite bebidas gasosas antes de suas apresentações (como refrigerantes e água com gás) elas produzem gazes podem comprometer sua emissão, e o refluxo gastresofágico causa irritação na mucosa das pregas vocais.

16.            Aprenda com um Fonoaudiólogo a aquecer e desaquecer a voz antes e depois das apresentações, o ajuste da voz cantada é diferente do da voz falada, assim a voz cantada de ser utilizada somente em situações de canto.

17.            Cuide de sua saúde geral, manter-se em boas condições de saúde geral, auxilia a produção vocal, quer seja para o canto quer seja para fala. São raros os indivíduos doentes que mantêm boa emissão vocal.

18.            Procure um Fonoaudiólogo para orientá-lo, como utilizar melhor a voz, ele lhe dará dicas importantes que vão auxiliá-lo por toda a vida.

  

No Questionário para identificação de possíveis problemas de voz:

 

Assinale as respostas positivas:

 

(  )Você acha sua voz rouca?

(  )Alguém já comentou que sua voz é rouca?

(  )Você ficou rouco mais que dois dias?

(  )Sua voz fica rouca após ensaios?

(  )Você tem ou já teve algum problema de voz?

(  )Sua voz piorou depois que passou a cantar ou a pregar

     freqüentemente?

(  )No dia  seguinte de uma apresentação ou de um ensaio você fica

    sem voz ou com a voz rouca?

(  )Durante as pregações ou canto, sua voz quebra ou some?

(  )Você desafina ou perde o controle da emissão?

(  )No canto tem dificuldades para atingir notas agudas?

(  )No canto tem dificuldades para atingir notas graves?

(  )Quando canta ou prega sai ar da sua voz?

(  )Você tem alguns destes sintomas na laringe: coceira, ardor, dor,

     sensação de garganta seca, sensação de queimação, sensação

    de bolo  na garganta?

(  )Falta de ar para terminar as frases musicais?

(  )Ao final do dia sua voz está mais fraca?

(  )Quando você canta ou prega, suas veias saltam do pescoço?

(  )Quando você canta ou prega, sente dores do pescoço?

(  )Você canta ou prega mais de uma hora seguida?

(  )Você pigarreia constantemente?

(  )Você tem alergias nas vias respiratórias?

(  )Você tem resfriados constantemente?

(  )Você tem amidalites, laringites, ou faringites freqüentes?

(  )Você tem dificuldades digestivas, azia ou refluxo gastro-esofágico?

(  )Você se auto-medica quando tem problemas na voz?

(  )Além de cantar ou pregar, você utiliza a voz em outras situações

    como no trabalho secular?

 (Questionário adaptado Behlau & Rehder _ Higiene vocal para canto coral – Revinter)

 

Observação:

 Se você marcou mais do que quatro itens, fique atento e veja o que pode ser feito para modificar esses aspectos e se tais modificações surtem efeito positivo. Se você marcou acima de seis itens, procure um Fonoaudiólogo, sua saúde vocal pode estar correndo um sério risco.

Quando o assunto é soltar a voz busque como aliada a Fonoaudiologia! Ela ajudará você a conhecer e a descobrir sua própria voz, uma das funções mais fantásticas do corpo humano!

 

Mandem perguntas e sugestões por e-mails. Sua pergunta pode ser selecionada e você poderá tirar suas dúvidas sobre assuntos relacionados a Fonoaudiologia.

Dr. Pablo Inísio Araújo de Almeida

Fonoaudiólogo, Pós-graduando em Psicopedagogia-UCB

Docente do Centro de Cultura e Comunicação SENAC RIO

Fonoaudiólogo Colaborador do Conselho Regional de Fonoaudiologia 1a Região

Fonoaudiólogo da Equipe Pedagógica do Jardim Escola Antônio Ribeiro Feitosa-JEARF

Supervisor Técnico do Serviço de Fonoaudiologia do Centro Médico do Projeto Vida

Contatos:

E-mail: pabloinisio@yahoo.com.br

Tel: (21) 9821-1320

About these ads